Home Destaques Empresário diz que soube pela CPI que Prevent omitiu Covid do atestado...

Empresário diz que soube pela CPI que Prevent omitiu Covid do atestado de óbito da mãe

490
0

O empresário bolsonarista Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, afirmou em depoimento que soube pela CPI da Covid que a Prevent Senior omitiu a Covid do atestado de óbito da mãe dele.

Hang foi convocado a prestar depoimento sobre as suspeitas de que financiou a disseminação de fake news, principalmente sobre tratamentos ineficazes contra a Covid, o que o empresário nega.

Aos senadores, Luciano Hang disse que, ao saber que a Covid não constava do atestado de óbito da mãe, procurou a Prevent Senior e que a operadora de saúde forneceu um segundo documento. Segundo ele, este segundo documento, sim, mencionava a Covid.

“Fiquei sabendo através da CPI que tanto o atestado de óbito quanto o prontuário da minha mãe foi pego. E que lá no atestado de óbito não constava Covid. Eu sou leigo, não sei o que tem que botar no atestado de óbito”, declarou Hang.

Em seguida, o empresário afirmou ter sido informado pela Prevent Senior que houve um erro do médico plantonista que atendeu à mãe do empresário.

“Segundo eles, quem preencheu o atestado de óbito foi o plantonista. No dia seguinte, a comissão de controle de infecção hospitalar viu o erro do plantonista,” declarou.

No último dia 22, também em depoimento à CPI, o diretor-executivo da Prevent, Pedro Benedito Batista Junior, foi questionado sobre a mãe de Luciano Hang e respondeu que não tinha autorização para falar de pacientes.

O diretor admitiu, no entanto, que a operadora alterou o prontuário de pacientes com Covid para excluir o diagnóstico dos registros, mas que isso seria somente para saber quem já não estava mais com a doença. A empresa nega.
Drogas ineficazes
Ainda no depoimento, Hang disse que a mãe foi diagnosticada com Covid no dia 28 de dezembro de 2020. Segundo ele, médicos foram chamados e começaram a medicá-la com remédios que compõem o chamado “kit Covid” e que são comprovadamente ineficazes.

Hang, assim como o presidente Jair Bolsonaro e aliados, defende desde o início da pandemia o uso de remédios comprovadamente ineficazes contra a Covid. A CPI investiga o quanto a defesa dessas medicações pelo presidente prejudicou o combate à pandemia no país.

O empresário disse que também autorizou que os médicos da Prevent Senior adotassem terapias ineficazes no tratamento da mãe dele, como ozonioterapia.

“Ofereceram ozonioterapia e eu aceitei […]. Coloquei nas mãos dos médicos. Autorizei a Prevent a fazer tudo que estivesse disponível para salvar minha mãe. Autonomia médica dá liberdade para que o médico prescreva”, afirmou.

Durante o depoimento, o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou o atestado de óbito que informou seis causas da morte da mãe de Hang, entre os quais pneumonia bacteriana e disfunção de múltiplos órgãos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here