Home Destaques Bancos lucraram R$ 139 bilhões em 2022, com alta de 1,6, diz...

Bancos lucraram R$ 139 bilhões em 2022, com alta de 1,6, diz BC

438
0

O lucro líquido dos bancos subiu 1,6% em 2022 e somou R$ 139 bilhões, informou o Banco Central. Em 2021, as instituições financeiras tinham lucrado R$ 136,8 bilhões.

Apesar do aumento na comparação com 2021, o lucro das instituições financeiras registrou queda frente ao patamar registrado no meio do ano passado.

Em doze meses até junho de 2022 (número revisado), o lucro tinha somado R$ 143,3 bilhões. Na ocasião, essa cifra representava um recorde.

De acordo com o BC, as despesas com provisões (valores reservados para eventual inadimplência dos clientes) aumentaram ao longo de 2022 e, relativamente à carteira (de empréstimos), aproximaram-se dos níveis observados durante a pandemia.

“O crescimento do crédito em linhas de maior risco, o aumento do comprometimento de renda das famílias e a redução da capacidade de pagamento de micro e pequenas empresas explicam o aumento ao longo do ano”, acrescentou a instituição.

Lojas Americanas e rentabilidade menor

O BC informou ainda que, no quarto trimestre do ano passado, o efeito das lojas Americanas, contribuiu para a elevação significativa das provisões (recursos separados para possível inadimplência) na ordem de 25% na comparação trimestral, e respondeu por “parcela relevante” do recuo da rentabilidade do sistema no ano.

De acordo com o Banco Central, o retorno sobre o patrimônio líquido do sistema financeiro nacional, forma usada para medir a rentabilidade dos bancos, foi de 14,7% em 2022, com queda na comparação com os 15,7% registrado no ano anterior.

As lojas Americanas divulgaram em janeiro ter identificado “inconsistências em lançamentos contábeis” nos balanços corporativos, em um valor que pode chegar a mais de R$ 40 bilhões e depois entrou com pedido de recuperação judicial

A recuperação judicial serve para evitar que uma empresa em dificuldade financeira feche as portas É um processo pelo qual a companhia endividada consegue um prazo para continuar operando enquanto negocia com seus credores, sob mediação da Justiça. As dívidas ficam congeladas por 180 dias e a operação é mantida.

“As provisões [dos bancos brasileiros], contudo, absorveram a maior parte da materialização de risco [das lojas Americanas] e seguem adequadas, acima das estimativas de perdas esperadas”, acrescentou o Banco Central.

Cenário para 2023

O Banco Central avaliou, também, que o cenário para o sistema financeiro em 2023 é de “atividade econômica mais fraca, crescimento do crédito menor, inadimplência e inflação em níveis elevados”. “Assim, espera-se que a rentabilidade do sistema continue pressionada no médio prazo”, avaliou.

“Embora o crescimento da economia em 2022 tenha superado as expectativas iniciais, a trajetória ao longo do ano foi de arrefecimento [abrandamento]. Nos últimos dois anos, ocorreu forte recuperação da atividade econômica doméstica, no entanto, a economia encerrou 2022 em desaceleração”, informou o Banco Central.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here